Dona de casa cria biblioteca para ajudar crianças de Imperatriz

Dona de casa cria biblioteca para ajudar crianças de Imperatriz: "


do Correio de Imperatriz


Dona Aurineide: “É tudo de um valor grandioso”


Aprender a ler e escrever sempre foi o sonho de uma moradora do bairro Vila Cafeteira, na periferia de Imperatriz. Foram muitos anos de dedicação e esforço até conseguir alcançar esse objetivo. Agora, ela tem outra missão: ajudar crianças e moradores do bairro a terem acesso à leitura.


Por meio de doações, conseguiu instalar uma biblioteca na própria casa, onde hoje centenas de pessoas vão em busca de conhecimento.

Aurineide Silva transformou parte da casa onde mora, há quatro anos, em uma biblioteca. Fez do sonho uma realidade. Para isso, não contou com a ajuda de ninguém. É tudo muito simples, mas de um valor grandioso.

Nos registros, o número de pessoas que se beneficiam da solidariedade da dona de casa chega a vinte por dia. Aos 48 anos, ela é estudante do ensino médio.

O projeto, quando saiu do papel, contava com apenas nove livros. Hoje, está perto de vinte mil exemplares. Entre as obras, literatura, poesia, romances como de Lima Barreto e livros didáticos. Tudo é doação. E quem precisa usá-los também não paga nada por isso.

O local já dispõe também de um computador. Ainda não tem internet, mas, para ela, isso é só uma questão de tempo. O espaço j á existe há três anos.

A vontade de ter uma biblioteca surgiu da necessidade. Dona Aurineide é uma daquelas pessoas que não teve oportunidade de estudo, uma história parecida com a de milhares de maranhenses. Até bem pouco tempo ela não sabia ler nem escrever. Para muitos, chegar até aqui pode até parecer uma iniciativa pequena, mas, para ela, faz uma enorme diferença.

Para o futuro, ela espera melhorar, claro. A ideia é expandir o local, oferecer mais conforto e quem sabe, poder locar os exemplares.

Perto de terminar os estudos, ela sonha ainda em dividir o que aprendeu: quer ser professora. É a arte de ensinar por prazer que se transformou em missão. Um exemplo a ser seguido. Uma história que precisa ser contada. Tudo para lembrar que a esperança não pode morrer jamais. l

Fonte: Imirante
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini