Maranhão alcança redução de quase 50% da pobreza extrema, afirma MDS



Com ações efetivas, resultado da parceria entre Governos do Estado e Federal, o Maranhão reduziu em 48% o percentual da população que ainda vivia na pobreza extrema. A informação, divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), na avaliação da governadora Roseana Sarney, é uma demonstração de que o estado está no caminho certo.

“O governo estadual está trabalhando de braços dados com o federal para melhorar as condições de vida da população que mais necessita. Essa redução de quase 50% mostra que essas ações estão surtindo efeito. Esperamos seguir com esse trabalho e continuar contando com o importante apoio da presidenta Dilma”, destacou a governadora Roseana, que lançou nesta quinta-feira (13), junto com a ministra Tereza Campello, o Programa Viva Oportunidades, inspirado no Plano Brasil Sem Miséria e cujo investimento será de R$ 15,9 bilhões.

De acordo com o MDS, a redução resulta da parceria em programas como Brasil Carinhoso, lançado em maio deste ano pelo governo federal. A ação também fez com que o estado reduzisse em 70% o número de crianças que se encontravam vivendo em pobreza extrema. Na solenidade, a ministra Tereza Campello elogiou a iniciativa do governo em criar o programa lançado na semana passada. “O Estado brasileiro precisa trabalhar para superar a extrema pobreza e, para isso, temos que construir parcerias. O exemplo disso é o programa Viva Oportunidades”, ressaltou Tereza Campello.

O programa será desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), com meta de retirar 1 milhão de pessoas da pobreza extrema. “Essas ações, algumas já desenvolvidas com sucesso pelo governo, serão unificadas e fortalecidas pelo Viva Oportunidades. A ação começa com o reforço do Governo Federal e a certeza de que, com esses resultados, estamos construindo melhores dias para todos os maranhenses”, afirmou o secretário Fernando Fialho.

O Viva Oportunidades terá ações voltadas à inclusão social e produtiva, por intermédio de capacitação, acesso ao crédito e transferência de renda para os que vivem em situação de extrema pobreza no Maranhão. A meta é que o programa contribua para a geração de 20 mil empregos para jovens e adultos e para a criação de 80 mil negócios familiares, beneficiando 326 mil pessoas com a qualificação profissional e o acesso ao crédito bancário, especialmente o microcrédito produtivo urbano.

Bons resultados

Também com ações em parceria com o Governo do Estado, o Programa Brasil Sem Miséria alcançou bons resultados no Maranhão. “O plano reduziu a desigualdade e nos possibilita levar renda para o interior e não só para as grandes cidades”, destacou a ministra Tereza Campello.

No Maranhão, em um ano, o programa promoveu a inclusão de 38,9 mil famílias no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – de 687 mil em todo o país – localizadas por meio da busca ativa. No mesmo período, foram feitos 101,5 mil atendimentos na área rural – de 1 milhão em todo o país - beneficiando membros de 25,3 mil famílias em extrema pobreza que vivem no campo.

Outro destaque do Brasil Sem Miséria no estado foi a inscrição de 8,7 mil vagas no Programa Nacional de Acesso Técnico e Emprego (Pronatec) – cerca de 7% do total nacional. A ministra disse, ainda, que o estado é um exemplo nesse programa: das 20 cidades com melhor desempenho no Pronatec em todo o país, duas estão no Maranhão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos