CRUEL REALIDADE - Criança de 12 anos morre vitima de OVERDOSE DE CRACK







O 25º Distrito Policial de Teresina (Bairro Anita Ferraz) relatou um fato, através da internet, que serve de alerta para a existência de outra Teresina, dominada pelas drogas.

Na última segunda-feira (17), a Delegacia recebeu a presença de uma mãe desesperada, acompanhada de uma assistente social. A mãe relatou que seu filho de iniciais D.P.P.S., 12 anos, sumiu no último dia 15 (sábado) e que no domingo (dia 16) foi chamado para socorrê-lo, pois estava jogado na calçada de uma residência do conjunto Pedra Mole.

A mãe levou o filho para casa, mas o quadro se agravou e ele foi levado para Hospital da Pedra Mole.

As enfermeiras que atenderam o menor constataram ele estava sofrendo com uma overdose de drogas. Ele foi medicado, mas acabou morrendo. O menor era viciado em álcool e crack.

INÍCIO DO DRAMA

Com o depoimento da mãe, a Delegacia começou a investigar o que teria acontecido com o menor. Foi descoberto que ele saiu de casa com Thiago Batista da Conceição (vulgo Ligeirinho). Ligeirinho declarou à Polícia que o menor passou o dia tomando bebida alcoólica com o pai, que é viciado em álcool.

Ligeirinho declarou ainda que ‘às 23 horas sábado foi até um bar no bairro Pedra Mole e tomaram um litro de vinho e depois seguiram até a Praça da Cidade Jardim. Compraram algumas pedras de crack e retornaram por volta de 2h, quando dois rapazes em uma motocicleta bateram o pneu dianteiro no menor, que caiu estendido na calçada vomitando’.

Ligeirinho, que também é viciado em crack há seis anos, disse que ligou para o SAMU solicitando socorro. ‘O SAMU respondeu que o menor só precisava de um banho de água gelada e que só estava bêbado’, declarou à Polícia. Antes de ser entregue à família, o 25º DP enviou o corpo do menor para que fosse feito o exame cadavérico.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos