O que é um petista “autêntico” e “verdadeiro”?


O que é um petista “autêntico” e “verdadeiro”?

                                                                                           



Li num blog, acho que do colega John Cutrim, que o deputado estadual Bira do Pindaré lançará sua pré-candidatura à Prefeitura de São Luís, nesta sexta-feira, 3. Até aí tudo bem, nada demais.

Entretanto, a postagem fala que o evento contará com a presença de todos os petistas que são “autênticos” e “verdadeiros”. Aí pensei cá com os meus botões: que diabos é um petista “autêntico” e “verdadeiro” para algumas pessoas?

Do ponto de vista das biografias e das lutas políticas e sociais, Jomar Fernandes, Dutra e o próprio Bira do Pindaré são tão “autênticos” e “verdadeiros” quanto Washington Oliveira, Raimundo Monteiro, Fernando Magalhães ou Rodrigo Comerciário. O que existe são posições, modos e estratégias diferentes de fazer política.

Um petista “autêntico” e “verdadeiro” é aquele comprometido com as causas dos trabalhadores, dos pobres, do pequeno agricultor, do micro e pequeno empresário etc.

É também “autêntico” e “verdadeiro” aquele petista que combate as injustiças sociais, luta pela superação das desigualdades econômicas que separam os ricos dos pobres, que defende a ética na política, que combate a fome, defende a paz, está do lado da transparência e da participação popular na gestão pública. Por fim, um petista “autêntico” e “verdadeiro” é inimigo do neoliberalismo e das práticas políticas que afastam o poder do povo.

A verdade é que tentam passar a ideia de que só é petista ”autêntico” e “verdadeiro” quem declarar fé cega ao “anti-sarneísmo”. Por esse raciocínio, um petista pode roubar ou até matar, mas se se declarar anti-sarneísta radical, doente, aí pronto: pode ser declarado petista “autêntico” e “verdadeiro”.

Enfim, durante o lançamento da pré-candidatura do deputado Bira do Pindaré logo mais, estarão presentes muitos petistas autênticos e verdadeiros tanto quanto estarão no lançamento do companheiro Washington Oliveira. Aliás, a vida e a história mostram que é bom a gente ficar com o pé atrás quando se observa muito radicalismo e discursos evocando somente para si a ética e a correção.

Seria profícuo que o companheiro Bira evitasse cair nesse discurso de que somente ele representa o que há de bom no PT.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos