Sindicato dos jornalistas divulga nota de repúdio após agressão a jornalista em Teresina



 

Durante cobertura de manifestações de estudantes em Teresina - PI, o jornalista Cicero George Portela do site Portalodia.com sofreu repressão de policiais, informa o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí por meio de nota divulgada na última terça-feira (10).
O sindicato repudia a ação sofrida por Cícero George Portela.Segundo o texto, Portela “sofreu censura, humilhação e ainda teve o seu equipamento de trabalho, uma máquina fotográfica, tomada por supostos policiais à paisana”.
A entidade classifica o episódio como agressivo e como um atentado à liberdade de imprensa e frisa que “o  jornalista apenas fazia a cobertura jornalística da manifestação, fazendo anotações e registro fotográfico das ações executadas tanto por manifestantes quanto dos policiais na repressão aos excessos na avenida Frei Serafim”.

                                             NOTA DE REPÚDIO

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí vem a público condenar veementemente e manifestar o seu repúdio a covarde agressão sofrida pelo jornalista CíCERO GEORGE PORTELA, do Portalodia.com, que no exercício do jornalismo sofreu censura, humilhação e ainda teve o seu equipamento de trabalho, uma máquina fotográfica, tomada por supostos policiais à paisana que estavam a reprimir com truculência manifestações dos estudantes na avenida Frei Serafim. Se configurada a suposta ação policial, lamentamos profundamento que Agentes do Estado, impeçam com atos agressivos, desumano e de atentado à liberdade de imprensa e aos direitos humanos, contra profissionais dos meios de comunicação do nosso Estado. O jornalista apenas fazia a cobertura jornalística da manifestação, fazendo anotações e registro fotográfico das ações executadas tanto por manifestantes quanto dos policiais na repressão aos excessos na avenida Frei Serafim.

Diante de tal agressão à liberdade individual do profissional, o Sindicato manifesta apoio ao mesmo no sentido de garatir-lhe o reparo dos danos morais pela intimidação e abuso sofrido dos supostos agentes policiais que agiram com truculência contra o jornalista no seu exercício profissional.

É lamentável que fato como esse de censura e agressividade à liberdade de imprensa ainda ocorra por parte das autoridades policiais, exigindo do Governo do Estado do Piauí e do Secretário Estadual de Segurança Pública providências necessárias no sentido de fazer valer a ética profissional e o bom uso do aparelho policial do Estado.

O Sindicato dos Jornalistas está comunicando o fato à Federação Nacional dos Jornalistas, bem como aos demais sindicatos de jornalistas do país e às organizações internacionais de combate à violência contra profissionais da imprensa, a fim de que constem em seus anais e relatórios de Direitos Humanos.

Também colocou à disposição do jornalista a Assessoria Jurídica da entidade para adotar as medidas judiciais cabíveis em sua defesa, caso seja identificado de onde partiu a ação contra o jornalista. Reafirmamos, portanto, a nossa intransigente luta pela liberdade de imprensa e pelos direitos humanos.


Teresina, 10 de janeiro de 2012


A Diretoria
Sindicato dos Jornalistas do Piauí

Comentários

  1. Bom dia Senhor jornalista Abimael, fico solidário com o seu colega também jornalista piauiense, sendo mais um a repudiar atos brutais qualquer quer seja praticado principalmente por pessoas no exercício de sua profissão e amparado por lei! Abraços. Reinaldo Cantanhêde Lima

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentando os Fatos, uma nova forma de divulgar conteúdo com credibilidade.
Os nossos esforços se concentram no sentido de acrescentar ao nosso publico informações diferenciadas, aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado, noticias todos divulgam, o diferencial da informação está aqui em Comentando os fatos, credibilidade sempre em primeiro lugar.

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini