A derrocada da Eletromil

A derrocada da Eletromil

DO: 
BLOG DO LOUREMAR


Eduardo Facunde, dono da Eletromil
A coisa ficou feia para o lado da empresa Eletromil. De propriedade de Eduardo Gomes Facunde, a Eletromil começou suas atividades em Bacabal.


Explorava a compra premiada. É uma espécie de consórcio onde a idéia era a de que o cliente pagasse as prestações de um eletrodoméstico a preços módicos. O cliente concorria por sorteio, se fosse sortudo levava o eletro sem pagar o restante. Se não ganhasse, receberia o bem ao final do plano. Algum temp depois as empresas de compra premiada passaram a comercializar também planos de veículos.


Algumas cerraram as portas e deixaram uma infinidade de clientes do lado de fora. A maioria, pessoas humildes que transformava a ilusão vendida em sonho de uma poupança programada.


Não era um negócio de uma empresa com solidez no mercado. Todas foram empresas criadas em torno do primeiro cliente. Sem lastro para garantir nada.


Menos sólido ainda é o caráter das pessoas que se prestaram a explorar esse tipo de negócio. São muitos. Eduardo Facunde é um deles que começou a especular com o dinheiro dos clientes. Todos tem notícia de fazendas, propriedades das mais diversas, lanchas e festas patrocinadas com o dinheiro dos clientes. Numa sociedade onde impera a hipocrisia, passou a ser cultuado como um investidor, um homem bem sucedido. Pura aparência.


A derrocada veio para ele e sua empresa na mesma velocidade com que a ânsia de mostrar-se rico e próspero havia tomado conta do seu âmago. A Eletromil passou a não cumprir mais com seus compromissos. O cliente tinha que entrar numa longa fila de esperar para receber o seu bem sorteado ou mesmo aquele que já havia terminado de pagar.


As lojas estão sendo fechadas


A primeira notícia negativa da Eletromil foi no município de São Luis Gonzaga. Lá os clientes começaram a desconfiar da tramóia e ameaçaram invadir a loja e cada um pegar o que tinha direito. Em Olho D´Água das Cunhãs aconteceu o mesmo.


Hoje vemos a situação calamitosa. Ontem foi fechada a loja da Eletromil da avenida Guajajaras. Hoje a do São Francisco. A polícia na verdade se antecipou, teve notícias de que o proprietário havia mandado recolher tudo o que tinha na loja.


O caso não é novo. No ano passado, como divulguei aqui no blog e vários outros meios de comunicação divulgaram, o deputado César Pires denunciou o sistema de compra premiada no plenário da Assembléia Legislativa. Citou especificamente a Eletromil, em duas oportunidades.

Escrito por Louremar Fernandes 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini