A cidade que temos, o município que queremos - * ÁLVARO BATALHA JARDIM

A  cidade que temos, o município que queremos

* ÁLVARO BATALHA JARDIM



Quanto custa uma eleição para prefeito de Arari? A oportuna indagação foi lançada no blog do meu querido amigo Ezequiel Neves. O tema é relevante e interessa a todos os cidadãos e cidadãs que residem em Arari.


Sabe-se que os custos de uma campanha eleitoral são estratosféricos, assim, “só pode candidatar-se a prefeito em Arari quem tiver dinheiro”, conforme ressaltou Ezequiel. O nobre blogueiro sintetizou a questão, com bastante clareza: “Ora, mas se isso é verdade, então nunca teremos alguém do povo administrando Arari”, enfatizou Ezequiel.


A constatação ancora-se em numa perversa tradição da política brasileira. Sabemos que, historicamente, com raríssimas exceções, os eleitos são sempre os mesmos. Dessa forma, cinco séculos após o descobrimento do Brasil, os municípios continuam sendo uma espécie de capitania hereditária. Apenas alguns privilegiados revezam-se no poder, impedindo que pessoas talentosas, criativas, dedicadas e comprovadamente eficientes possam ser alçadas à condição de administradores municipais.


Essa realidade é determinante para o lento crescimento dos municípios brasileiros, especialmente os que estão localizados nos estados mais pobres da federação onde a concentração de riqueza é maior.


Sem se dar conta dos malefícios da falta de alternância nas administrações municipais, os eleitores são induzidos a perpetuar no poder gestores que em muitos casos não conseguem desenvolver um trabalho capaz de alterar, de forma significativa, a realidade local.


Definitivamente, chegou a hora de mudarmos essa corrosiva tradição. Está nas mãos de cada um de nós, de cada eleitor, de cada jovem, de todos aqueles que alimentam o desejo de mudança, a vontade de melhorar a passos largos.


Precisamos fazer uma revolução nos métodos políticos e transformar a realidade. Isso é possível, desde que esse sonho passe a dominar os corações e as mentes de cada cidadão e cada cidadã arariense.


Revolução na política local não é apenas um sonho, trata-se de uma necessidade inadiável. Não podemos desperdiçar a bela oportunidade que desponta no horizonte. Como isso será possível? Com fé, amor no coração, união, trabalho e a imprescindível colaboração de todos os sonhadores e sonhadoras que habitam nossa querida Arari. Só assim a cidade que temos se transformará no município que queremos.


(*) Graduado em Ciências Agrárias; Coordenador da Macal Consultoria; ex-secretário de Agricultura de Arari

Comentários

  1. Boa noite, que belo discurso, escreve com sabor de poesia, parabens pelos escritos e parabens por morar em um município onde o povo não é corrupto. Onde a corrupção não está representada por uma organização chamda Colônia de "pescadores", onde o povo não vende o seu voto, porque onde moro, Rosário, só ganha eleição quem tem pai muito rico, que para ser bomzinho coloca sua fortuna ao "bem-estar da população"! Ou então, consegue empréstimo de agiotas. Em Rosário tem um povo tão "honesto", que participa de todas as carreatas, em busca de uns litros de gasolina. E depois querem bons hospitais e boas escolas? Quem tem que mudar não o político, é o povo! Abraços. Reinaldo Cantanhêde Lima

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentando os Fatos, uma nova forma de divulgar conteúdo com credibilidade.
Os nossos esforços se concentram no sentido de acrescentar ao nosso publico informações diferenciadas, aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado, noticias todos divulgam, o diferencial da informação está aqui em Comentando os fatos, credibilidade sempre em primeiro lugar.

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini