Rebelião foi uma ''situação estranha'', diz secretário Aluísio Mendes acredita que 'pessoas de fora' podem ter influência em 'carnificina'.

Rebelião foi uma ''situação estranha'', diz secretário

Aluísio Mendes acredita que 'pessoas de fora' podem ter influência em 'carnificina'.


Paulo de Tarso Jr./Imirante
Foto: Biné Morais

imirante.com
SÃO LUÍS – Uma “situação estranha”, mas que já está “pacificada”. Pelo menos foi assim que o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes classificou a rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e que resultou na morte de 18 detentos em pouco mais de 24 horas de motim. Em entrevista à Rádio Mirante AM, Aluísio Mendes garantiu que o clima em Pedrinhas é tranquilo, uma vez que todos os reféns foram liberados e a polícia já começou a realizar revistas em todas as celas da penitenciária.
No entanto, o secretário de Segurança afirmou que não entende os motivos para a realização da rebelião por parte dos detentos. De acordo com o secretário, nenhum dos supostos motivos apresentados pelos detentos para a realização do motim (falta d’água no presídio e superlotação nas celas) levariam a uma “carnificina” semelhante ao que aconteceu em Pedrinhas.
Aluísio Mendes garantiu que não existe superlotação no presídio e muito menos deficiência na alimentação dos detentos. O secretário atribuiu sim, a rebelião, à vontade dos presos em cometer uma verdadeira “barbárie” dentro do presídio.
- É uma situação muito estranha. Não existe nenhuma razão para esta rebelião. Nenhuma reivindicação foi feita antes com relação a maus-tratos, a deficiência na alimentação, em nada. Foi uma rebelião que começou simplesmente para cometer uma série de crimes, uma barbárie dentro do presídio. Isso está sendo apurado para saber quem é que levou a cabo esta grande carnificina que ocorreu lá dentro. Não existe nenhuma razão plausível para isso. Não existe superlotação. Não existe excesso de presos. Não existe nada que justifique a barbárie que foi cometida lá – disse o secretário de Segurança.
Por acreditar que a rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas não está relacionada a estas exigências, o secretário Aluísio Mendes acredita que “pessoas de fora” do presídio poderiam ter insuflado os detentos. Porém, Aluísio Mendes preferiu não comentar esta declaração. O secretário se resumiu a dizer que a polícia irá apurar os responsáveis pela rebelião.
- Houve simplesmente uma rebelião no intuito de cometer esta barbárie, a não ser alguém estar insuflando essa movimentação de dentro da cadeia. É possível a interferência de pessoas de fora que insuflaram a rebelião. Mas isso está sendo investigado. Vai ser apurado com profundidade. O Serviço de Inteligência já esta apurando as responsabilidades. Vamos chegar ao mentor dessa rebelião – explicou.
A polícia já identificou alguns dos detentos que seriam líderes do motim de dentro da penitenciária. De acordo com o secretário, estes presos deverão ser transferidos para presídios federais.

 FONTE:  IMIRANTE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini