No Maranhão ainda assassina-se líderes de trabalhadores ruruais

No Maranhão ainda assassina-se líderes de trabalhadores ruruais: "


do Blogue do Eri



Mais um caso-Mataram Flaviano
No dia 30.10.2010, sábado, por volta das 21 (vinte e uma) horas, a liderança rural Flaviano Pinto Neto, 45 anos, pai de 5 filhos, presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais do Povoado Charco, município de São Vicente Ferrer-Ma, foi executado com 8 tiros de pistola calibre 380, disparados contra sua cabeça da vítimapor um pistoleiro que se evadiu do local em uma moto, no momento em que se encontrava nas imediações do povoado.

A execução ocorreu no momento em que os conflitos na localidade se asseveraram, opondo de um lado 70 famílias que vivem há mais de 60 anos na localidade e de outro, o fazendeiro Gentil Braga e seus filhos, proprietários de extensas áreas na região da Baixada, responsáveis também por diversos despejos forçados nessa região do Maranhão cercaram parte do povoado Charco com cerca elétrica.

A execução de Flaviano Pinto Neto foi uma morte anunciada. O conflito foi denunciado diversas vezes pela Comissão Pastoral da Terra ao Incra, Iterma, órgão de segurança pública e de justiça do Estado do Maranhão. Contudo, nada foi feito para impedir a execução brutal de um pai de família que deixa órfãos os filhos e a Terra.

Outra liderança rural, o Sr. Manoel Santana Costa, 35 anos, Delegado Sindical, foi ameaçado de morte em decorrência do conflito na localidade Charco e afirmou que pode ser executado por pistoleiros.



Nota de Pedrosa*

Comunico com tristeza que, na noite do sábado, dia 30, foi assassinado FLAVIANO, conhecida liderança do povoado quilombola Charco, em São Vicente de Férrer. Flaviano foi o grande articulador da resistência dos quilombolas contra o fazendeiro e um incansável operador para a agilização dos processos.
Atendi FLAVIANO ano passado, diante de uma situação fundiária quase definida, quando cerca de 120 policiais militares preparavam-se para efetuar o despejo da comunidade. Organizamos juntos o ajuizamento de uma nova ação possessória, fazendo figurar no pólo ativo da ação as legítimas herdeiras dos ex-escravos da localidade. Obtivemos êxito, com a supensão do despejo. A tramitação lenta do processo de titulação quilombola exigia a presença frequente de FLAVIANO em São Luís. Na semana passada mesmo esteve na FETAEMA, sempre angustiado, buscando agilizar o processo que envolve a sua comunidade. Foi morto, por dois homens, quando se encontrava em um bar, à margem da BR 014. Foi atingido por sete tiros de pistola. Os assassinos fugiram em um carro e uma moto, mas não houve o registro das placas. A comunidade está aterrorizada.
Quase ao mesmo tempo, recebo a notícia preocupante de que JOSELI, liderança do povoado Quebra-Pote, em São Luís, também está sendo ameaçado de morte. Nesta semana vamos nos unir em torno destas questões, para evitar o pior.

Luis Antônio Pedrosa, Advogado.
Pauta de Elen Mateus.
Enviado por Eri Santos Castro.
Deixe seu comentário
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos