Não há santos nesse altar do PT

Não há santos nesse altar do PT: "


do Blog do Kenard - Notícias e Análises

Acabo de acompanhar um diálogo no twitter a respeito do PT maranhense.


De um lado, uma pessoa dizia que Roseana Sarney (PMDB) agora expunha sua opinião a respeito do PT de Washington Luiz. Baseava-se em texto do jornalista Marco Deça, no qual era dito que o PT não tem quadros para assumir o poder.


De outro, dizia-se que era preciso esquecer o PT do mal de Roseana Sarney, por ser vã a discussão, uma vez que não há volta. O correto, dizia essa pessoa, era a união da oposição.


Bom, vou meter minha colher nesse angu.


Em primeiro lugar, se é que o jornalista do grupo sarneísta escreve com o aval dos patrões, tenho de concordar com Roseana Sarney: o PT não tem quadros. O que não é um elogio, mas uma crítica, afinal ela pôs uma figura como Anselmo Raposo na Secretaria de Educação e levou em consideração uma figura do naipe de Rodrigo Comerciário.


Mas o cerne da questão é este: a turma que apoiou Flávio Dino (PCdoB) critica duramente a turma de Washington Luiz, como se a turma que agora apóia o mesmo Dino fosse flor que se cheirasse.


Como não defendo nem critico nada com “theia manía”, como diziam os gregos, esclareço.


Em 2008, quando Flávio Dino foi candidato a prefeito de São Luís, a turma hoje espinafrada (de Washington Luiz) recebia loas. É que eles apóiavam Dino. Já o grupo ligado a Domingos Dutra estava com João Castelo e tratava Dino como sarneísta.


Em 2010 inverteram-se os apoios. Washington e sua turma foram para o lado de Roseana Sarney; a turma de Dutra veio para o lado de Flávio Dino.


Por que uns agora merecem respeito e os outros, a fogueira? Ou bem todos merecem ser queimados ou ninguém merece o fim das “feiticeiras” da Idade Média.


O resto é passionalidade.

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini