Morre a pessoa mais velha do mundo

Morre a pessoa mais velha do mundo: "


do Blog da Saúde

Eugénie Blanchard, freira francesa considerada a pessoa mais velha do mundo, morre aos 114 anos.


Ela nasceu em Saint Barthélemy, nas Antilhas francesas, em 16 de fevereiro de 1896, e ganhou o posto de pessoa mais idosa viva em maio, quando a japonesa Kama Chinen morreu poucos dias antes de completar 115 anos.


A EFE, imprensa francesa, informou que ela faleceu no hospital de Saint Barthélemy, onde morava há 30 anos. Em Saint Barthélemy ganhou a fama de generosa, já que distribuía doces entre as crianças para que participassem de leituras do Evangelho.


ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO


Estamos vivendo mais e com mais saúde do que nunca. A expectativa de vida na Espanha, Grécia e Áustria, por exemplo, dobrou durante o século 20.


Pela primeira vez na história humana, as pessoas com 65 anos ou mais devem se tornar mais numerosas que as menores de 5 anos.


Porém, nesse ritmo, em muitos países, o número de idosos com direito a aposentadorias públicas, serviços de saúde e cuidados prolongados em breve irá superar a força de trabalho, que paga impostos para custear esses benefícios.


Nenhuma outra força deve moldar tanto o futuro das economias nacionais, das finanças públicas e das políticas governamentais, segundo uma nova análise da Standard & Poor’s sobre o envelhecimento global, divulgada no The New York Times.


Nesse contexto, a promoção de saúde tem papel fundamental para quem deseja seguir os anos com disposição. A médica Dra. Luciana Pricoli Vilela, explica ao que devemos ficar atentos.


Existe o envelhecimento normal, chamado de senescência, e o processo anormal ou patológico, que chamamos de senilidade. Se o primeiro é um processo natural, devemos buscá-lo de maneira saudável, livre dos efeitos da senilidade.


Senescência


O avançar do tempo traz alterações no organismo que são notadas quando o comparamos ao desempenho do adulto.


Essas alterações, no processo de senescência, são muito discretas, ainda que contínuas, mas não são intensas o suficiente para comprometer a vida do idoso a ponto de ele perder independência e autonomia.


Alguns exemplos dessas alterações esperadas são: diminuição do vigor, da força e da rapidez de reações e funções, físicas e mentais.


Senilidade


Já os efeitos ao longo dos anos de doenças mal controladas, levam a desgastes do organismo que vão além do processo natural. Portanto, o diagnóstico precoce e o acompanhamento rigoroso das doenças, é essencial para um envelhecimento saudável.


São exemplos de comprometimento frequente devido a processos anormais do envelhecimento: doenças cardíacas decorrente de hipertensão arterial e/ou diabetes, dificuldade motora por causa de artrose, perda de memória devido à doença de Alzheimer, doença pulmonar causada pelo tabagismo etc.


Aí está a grande importância da prevenção. Nesse sentido, é sempre importante ter um médico que nos conheça por inteiro e que esteja preparado para nos ajudar no futuro.


*Dra. Luciana Pricoli Vilela é medica especializada em Clínica Geral e Geriatria pela USP e membro da Sociedade Brasileira de Clínica Médica e Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.




"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini