Faculdades “invadem” Caxias e atraem estudantes de outras cidades e estados

Faculdades “invadem” Caxias e atraem estudantes de outras cidades e estados: "


do Maranhão Maravilha




Anele de Paula
Da equipe de O Estado


Caxias - O ano de 2010 já pode ser considerado como um dos períodos mais profícuos para a consolidação das instituições particulares de ensino superior em Caxias. E isso se deve não apenas ao surgimento de novas faculdades, mas à ampliação do número de pessoas que ingressaram no ensino superior. Conforme levantamento feito por O Estado, cerca de 5 mil caxienses freqüentam algum estabelecimento de ensino superior.


A ampliação no número de vagas é conseqüência da criação de novos cursos e da instalação destas unidades de ensino, que deixaram para trás uma realidade educacional, a de que somente o Centro de Estudos Superiores de Caxias, da Universidade Estadual do Maranhão (Cesc/Uema), oferecia educação superior.


Hoje, quem pode pagar para conquistar o tão sonhado diploma pode escolher, além dos cursos de licenciatura, os técnicos e os da área de Saúde, que despontam como o grande filão das faculdades particulares.


São oferecidos cursos na área de Serviço Social, Recursos Humanos, Administração, Nutrição, Enfermagem, Fisioterapia, Direito, entre outros. Foi por causa do surgimento de novas instituições de ensino que a acadêmica de Administração Adriana Vieira da Silva desistiu de fazer faculdade em Teresina (PI). Economia de tempo para ela e financeira para os seus pais, que pagam as mensalidades do curso.


“Eu ia fazer o curso em uma faculdade do país. É claro que, existindo perto de casa, é melhor porque não tenho que morar em outra cidade”, justificou a estudante.


Aquecimento - O novo mercado das faculdades não se aquece apenas com a matrícula de novos alunos. Ela impulsiona também outros setores, como o da prestação de serviços. São mais de 350 empregos diretos e indiretos, entre professores, auxiliares de serviços gerais, criados para atender a esta nova fatia do mercado caxiense.


Por causa das instituições de ensino, papelarias, casas de cópias, lanchonetes e até albergues são postos em funcionamento para atender aos estudantes de todos os cantos da cidade e de fora dela que movimentam esse setor.


Foi por causa deste novo filão da economia local que o desempregado José de Ribamar dos Santos abriu uma lanchonete na garagem de casa e consegue uma renda. Há um estabelecimento de ensino superior localizado próximo à sua casa.


“No começo, eu fiquei com medo, porque a gente vendia pouco . Eu achava que não ia dar certo, mas a mulher insistiu e hoje se tem uma boa renda. Dá para pagar a água e a luz de casa”, disse o comerciante.


Mensalidades - Se a estrutura física de uma faculdade influencia os novos acadêmicos na escolha de um curso superior, o mesmo se reflete no valor das mensalidades. Embora os proprietários das instituições de ensino privado de Caxias digam que os valores cobrados são compatíveis com o poder aquisitivo do caxiense, não é isso que acontece na realidade.


Os da área de Saúde são os mais caros e também os mais concorridos. Novas turmas se formam a cada vestibular, mas ainda são muitos os estudantes que não se formam, vítimas da inadimplência.


“Esse é um dos grandes problemas hoje das faculdades particulares. Tem muita gente que começa, freqüenta um semestre ou dois e depois se vê obrigado a trancar o curso pela falta de poder aquisitivo para manter a mensalidade em dia. O que se pode fazer para melhorar essa relação financeira com o aluno é feito, mas não se pode oferecer preços baixos demais e comprometer a qualidade do que é oferecido”, afirmou a coordenadora pedagógica de uma faculdade privada, Francisca de Oliveira Damasceno.


O curso privado cuja mensalidade é uma das mais baixas hoje no município ainda é o de Pedagogia.


Curso é o que mais aprova para a OAB


Criado em 2003 pela portaria do Ministério da Educação de número 4033, o curso de Direito ministrado por uma faculdade local da rede privada, além de ser um dos poucos existentes no interior do Maranhão, figura hoje como um dos que mais aprova advogados recém-formados que se submetem a prova da Ordem dos Advogados do Brasil(OAB).
Somente este ano, mais de 10 acadêmicos conseguiram aprovação no exame da Ordem. Um feito inédito para a instituição e para o próprio curso, que nasceu desacreditado e hoje é um dos mais procurados da instituição de ensino.


O curso oferecido pela instituição ganhou tanto destaque na educação caxiense que outra instituição de ensino da rede privada se inscreveu no Ministério da Educação (MEC) para oferecer o mesmo curso.


MEC - A solicitação foi negada, porque o MEC entendeu que não havia a necessidade de se criar outro curso de Direito, visto que o já existente consegue atender à demanda e ainda oferecer ensino de acordo com o que preconiza o ministério.


A credibilidade do curso ultrapassou as fronteiras caxienses e hoje abriga estudantes de diversas cidades maranhenses. Codó, Pedreiras, Aldeias Altas, Presidente Dutra, Imperatriz são apenas algumas das cidades de origem de muitos estudantes que freqüentam uma das turmas oferecidas no curso.


Informações


- Os cursos superiores ministrados no turno noturno estão entre os mais procurados. Mais de mil alunos freqüentam a sala de aula neste horário.


- Contabilidade e Administração também são muito procurados.


- Vários cursos superiores de Caxias passaram pelo Exame Nacional dos Estudantes (Enade).


- No ano passado, o pior índice de ensino foi registrado em Pernambuco. Naquele estado, dos 205 cursos avaliados, 83 (40%) deles foram considerados insatisfatórios, alcançando notas um e dois. Em seguida, com conceitos um e dois, vêm os cursos do Amazonas (37,14%); Distrito Federal (35,57%) e Tocantins (35,19%).
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos