Prefeito do partido de Flávio Dino apoia Roseana

Prefeito do partido de Flávio Dino apoia Roseana
 
O único prefeito do PC do B, membro do diretório estadual do partido namora o palanque de Roseana e admite sem receios o apoio à candidata do PMDB

FONTE:O IMPARCIAL ON LINE
Kássia Brito

A menos de um mês para a eleição os relacionamentos na fauna política ainda passam por transformações que chegam a editar cruzamentos ideologicamente inesperados. José Leane, único prefeito do PC do B no Maranhão, gestor do município de Afonso Cunha desde 2008, abandonou o barco da campanha comunista. Integrante do Diretório Estadual do PC do B, ele esteve em um comício de Roseana Sarney (PMDB) na cidade de Caxias. Além de marcar presença no evento, ainda esticou uma conversa afinada com o candidato petista a deputado estadual, Américo de Souza. Américo é ligado ao grupo de Washington Oliveira, vice-governador na chapa da peemedebista e um dos líderes da ala palaciana do PT.

Durante a sabatina de O IMPARCIAL, no início do deste mês,  a postura de José  Leane foi tema de uma pergunta a Flávio Dino. Na ocasião, o candidato comunista ao governo do Estado, chegou a cutucar o pedetista Jackson Lago, por considerar que o grande partido do “eu quero me dar bem” cresceu do dia para a noite na gestão  de Jackson por falta de “um projeto claro” e garantiu que o prefeito do PC do B em Afonso Cunha estaria integrado ao projeto para levar o deputado ao governo do Maranhão, inclusive compondo a coordenação da campanha de Flávio Dino no município.  “A maioria política é gelatinosa quando você não tem projeto se você tem projeto claro você coloca cimento nessa maioria e esse foi um dos problemas do governo do doutor Jackson, não tinha um projeto claro e a ausência de um projeto claro fez com que a maioria fosse gelatinosa e essa maioria gelatinosa se desmanchou em 24 horas”, disse Flávio Dino, sem ousar talvez que poderia ter que engolir a geléia ideológica dentro do próprio partido.

Enquanto desmentiu que um prefeito do PC do B poderia trair a rigidez das deliberações do PC do B,  Flávio Dino ressaltou as contradições políticas típicas do interior maranhense. E não falhou na profecia. “Tem que respeitar a autonomia dos municípios, não se consegue enfiar numa camisa de força, nem a ditadura conseguiu. Você tem que lidar com as contradições e eu sou especialista em contradições, minha educação profissional é para lidar com conflitos, administrá-los e resolvê-los”, destacou. Mas as palavras não puderam combater a lei da sobrevivência política e José Leane preferiu engrossar a fila de prefeitos no palanque de Roseana destoando do discurso manifestado por Dino sobre uma possibilidade reaproximação do  PC do B com o grupo político da governadora.  Na sabatina de O IMPARCIAL, ao ser questionado sobre o apoio que os comunistas deram a Roseana em 1994, Flávio Dino  disse que o PC do B havia se arrependido deste fato.

Ouvido sobre o assunto por O IMPARCIAL, José Leane explicou os motivos da aproximação com Roseana e desabafou:  “A gente sempre teve com ele, devido essa conjuntura nova de governo , a gente ficou naquela situação, contra o governo. Aí,  não tem nada pra um município pequeno como a gente”. Com um discurso pragmático ele  admite que foi preciso recuar no apoio a Dino para conseguir sobreviver na selva política e garantir  fôlego para as próximas eleições municipais.  “A cidade aqui está livre, pode vir a qualquer hora, mas eu é que não posso ficar fazendo campanha”, complementou.

Cobranças

José Leane  não vê o apoio a Roseana como uma aliança inesperada e revela que o casamento com partidos distintos na base ideológica é  uma cena  comum da política maranhense. “Foram oito partidos, pra poder me eleger todos eles deram sua colaboração, inclusive o Flávio também deu sua colaboração lá em Afonso Cunha, só não fomos apoiados pelo PDT e PSB, o resto todo me apoiou, então estamos cobrando também essa fatura, assim como o Flávio está sendo ajudado, de certa forma, ele esta sendo ajudado”, enfatizou.

Quando questionado sobre qual “ajuda” seria essa e quem estaria por trás, o prefeito disse que não falaria por telefone, mas queria conversar pessoalmente. Após marcar duas vezes com a reportagem de O IMPARCIAL, ele não apareceu para explicar a afirmação que sustentou, e no último contato, disse apenas que estava em reunião com um deputado estadual e sem citar nomes, desligou.

Márcio Jerry (PC do B), coordenador da campanha de Flávio Dino, disse que José Leane não comunicou sua decisão ao partido e as avaliações sobre o caso, devem ser feitas apenas após as eleições. “José Leane é do PC do B e um aliado do PCdoB está com Flávio, quem não está na campanha dele descumpre uma decisão partidária. Após as eleições o partido avaliará e deve saber quem foi que cumpriu com as decisões partidárias de forma tranqüila e aberta sem nenhuma caça às bruxas”, assegurou. Quanto aos apoios  sugeridos por José Leane para pagar a fatura comunista em Afonso Cunha, Marcio Jerry destacou: “Se ele declarou isso falou de forma equivocada, Flávio é candidato a governador e recebe o apoio de variadas forças políticas”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos