Grande parte de Santa Inês corre o risco de ficar sem água, afirma dirigente da Caema


Grande parte de Santa Inês corre o risco de
ficar sem água, afirma dirigente da Caema


Uma notícia das mais preocupantes foi repassada no final da tarde de ontem para o Jornal Agora Santa Inês, por um alto funcionário da Caema na cidade. Segundo ele, a água que já está chegando racionada nas torneiras da maior parte das casas localizadas no centro e bairros periféricos de Santa Inês, poderá acabar de uma hora para outra deixando parte da população vivendo uma "pane seca" sem precedentes na história do município. Segundo esse senhor que se identificou como um dos diretores imbuídos em resolver o problema, os poços existentes estão secos e produzem o mínimo de água, o que acaba por penalizar a população em grande parte, "principalmente aqueles consumidores que não possuem grandes reservatórios (caixas d'água) em casa".
Ele disse ao Agora que a solução pode está em poços localizados no bairro do Aeroporto, mas que "entraves burocráticos" estariam impedindo que uma negociação avançasse para que o problema possa vir a ser resolvido. Ele pediu-nos que ajudasse mostrando às autoridades envolvidas no desfecho do problema, o sofrimento pelo qual estão passando crianças, idosos e o povo em geral; " a Caema sozinha aqui não vai resolver a situação e o que se avizinha é uma situação de calamidade pública", disse-nos o funcionário da Caema com ar de preocupação.


A Caema não tem expectativa de resolver o problema da falta de
água em Santa Inês de uma hora para outra

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos