Católicos criticam presença de Serra e Alckmin em igreja

Católicos criticam presença de Serra e Alckmin em igreja: "




Daniela Almeida, enviada a São Carlos e Araraquara

Padre de Araraquara durante missa: “Eu tenho alegria muito grande de acolher nosso futuro presidente (referindo-se a Serra)'

Os tucanos José Serra, candidato à Presidência da República, e Geraldo Alckmin, postulante ao governo paulista terminaram o dia de campanha no interior paulista com uma visita à Igreja Nossa Senhora de Aparecida, em Araraquara, o que foi criticado por católicos da região.


Os tucanos foram recebidos por um pároco, conhecido como padre Nelson. Depois de receberem as bênçãos na sacristia da igreja, os tucanos foram levados ao altar. “Eu tenho aqui uma alegria muito grande de acolher nosso futuro presidente (referindo-se a Serra). Temos a certeza de que ele é uma pessoa muito preparada.”, disse padre Nelson.


Nem Alckmin e nem Serra discursaram no altar. Segundo pessoas ligadas à paróquia, estavam presentes cerca de 2 mil pessoas.


Sobre as críticas de católicos, que manifestaram indignação pelo ato do padre com os políticos, além de outros que esboçaram uma vaia, Serra procurou se esquivar. 'Não sei quem criticou, fui convidado e vim', limitou-se a responder o candidato tucano, na saída. Alckmin não viu problema. 'Vou à missa todo domingo, em dia santo, pra mim é normal', disse o candidato ao governo paulista. O convite para a ida à missa foi do deputado federal araraquarense Dimas Ramalho (PPS).


'Viemos para ver a missa, não para ver político', disse Maria Fernandes, chateada. 'A casa de Deus é aberta para todos', retrucou a amiga Maria Luísa Villa Leal. 'Onde se viu o padre falar que estava diante do presidente do Brasil e do governador de São Paulo, é uma falta de respeito', disse o representante Paulo Sérgio Neves, proferindo alguns palavrões ao lado da sacristia. 'É ridículo misturar política com religião', comentou Luciana, que preferiu só citar o prenome. O marido dela, Marcos, também não gostou. Outros devotos saíram rapidamente da igreja quando os políticos subiram ao altar para receber a bênção do padre. 'Isso é uma palhaçada', vociferou um dos que abandonaram a paróquia.


* Com Agência Estado

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos