O “grave” crime da faxineira

O “grave” crime da faxineira: "

BLOG POLITICA E CIDADANIA
Não dá para acreditar que a faxineira Adnalva Maurício de Souza continua presa em Salvador, sob a acusação de tentativa de subornar funcionário público, porque levou R$ 490 para uma delegacia de polícia acreditando que, com aquele valor, poderia conseguir a liberdade do seu filho, acusado de tráfico de drogas. A pobre mulher diz ter obedecido ao pedido de alguém da própria delegacia e, como não tinha os R$ 500 solicitados, teve que fazer uma “vaquinha” na vizinhança, mas ainda assim conseguiu reunir comente R$ 490.

Diarista, Adnalva foi detida ao chegar à delegacia e dizer, ingenuamente, que estava levando o dinheiro para libertar o filho. Pela letra fria da lei, ela realmente cometeu um crime.

Mas, quando se examina as circunstâncias que envolvem o caso salta aos olhos a injustiça da prisão de uma mulher semianalfabeta que apenas achou que estaria ajudando o filho a sair da prisão. E, quando isto acontece num País onde grandes corruptores sequer são acusados do crime – quando muito se punem os funcionários corrompidos – esta injustiça ganha contornos de grande absurdo.

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos