Ministério Público convoca Cemar em Santa Inês para se explicar em audiência pública sobre “apagões” e outros problemas causados ao consumidor

Ministério Público convoca Cemar em Santa Inês para
se explicar em audiência pública sobre “apagões” e
outros problemas causados ao consumidor

O Ministério Público em Santa Inês, resolveu tomar providências no tocante aos muitos problemas que a Cemar – concessionária de energia – vem causando ao consumidor local. A promotora Rosana Conceição Gonçalves, que tem atribuições na Defesa dos Direitos do Consumidor, enviou ofício para a Cemar e convocou representante da Prefeitura Municipal e informou a imprensa sobre a realização da referida audiência pública que vai acontecer no próximo dia 10, terça-feira, às 9:00 horas da manhã, no Auditório da Promotoria de Justiça.
Em ofício enviado ao Agora Santa Inês, a promotora comunica a realização do encontro entre as partes, solicita a presença do editor deste Jornal, para acompanhar a audiência, ao mesmo tempo em que destaca que “as Promotorias de Justiça da Comarca de Santa Inês sempre estarão à disposição dessa Empresa, para que a sociedade de Santa Inês tenha sempre assegurados seus direitos e garantias fundamentais”. De nossa parte, agradecemos, em nome da população de Santa Inês, a iniciativa tomada pelo MP, visto que a Cemar vem mesmo causando uma série de desconforto para seus consumidores com “apagões” que viraram rotina no dia a dia da comunidade, além de outros desconfortos, como por exemplo, o de não manter um atendimento adequado em seu escritório em Santa Inês, além de discriminar consumidores com modalidades diferentes de reaviso de cobrança e ameaças de cortes, entre outros. Pelo que deixou claro o MP, a população de Santa Inês é convidada a se fazer presente na audiência em pauta, através de representantes de instituições civis, etc.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos