Descoberta de gás natural abre novas perspectivas econômicas para o Maranhão

Descoberta de gás natural abre novas
perspectivas econômicas para o Maranhão





O Maranhão, que vive um grande momento em sua economia, com investimentos que remontam R$ 100 bilhões nos próximos cinco anos, dará um novo salto de desenvolvimento com a descoberta de gás natural pela OGX no município de Capinzal do Norte. A reserva com potencial estimado em 15 trilhões de m³ de pés cúbicos, o estado deve se transformar num dos maiores produtores de gás no mundo.

A própria governadora Roseana Sarney, quando recebeu a notícia da OGX e do volume estimado, de imediato disse que a descoberta abrirá uma perspectiva gigantesca de novos negócios para o Maranhão, atraindo mais empresas e mais geração de emprego e renda para a população.

A exploração comercial do gás em Capinzal do Norte deve demandar a aplicação de R$ 600 a R$ 700 milhões, que irão se somar aos R$ 100 bilhões em investimentos que estão se instalando no estado, a exemplo da refinaria Premium I, no município de Bacabeira.

Até o momento a OGX energia já investiu aproximadamente R$ 59 milhões na prospecção de poços na região. A idéia é investir mais 56 milhões para se concluir os estudos técnicos. A surpresa da empresa com o potencial da região coberta pela bacia do Paraíba fez com que a empresa modificasse o seu plano inicial de explorar cinco poços, elevando para 15. São recursos que estão movimentando a economia do estado e principalmente da região.

Perspectiva

Para Capinzal do Norte, distante 260 km de São Luís, o impacto dessa descoberta será transformador para um município que tem principal fonte de renda da população (estimada em 10 mil habitantes) a venda de frutas, verduras e galinha caipira. Tanto que a notícia foi comemorada pela população com queima de fogos.

“Não só a população de Capinzal do Norte, mas de toda a região está muito feliz com a notícia que abre grande expectativa de desenvolvimento para a região, para o estado e para o Brasil”, disse o prefeito Eliomar Alves. “Estamos vislumbrando um futuro promissor para o município e para os jovens que vivem aqui”, completou.

Segundo o prefeito, uma universidade particular de São Paulo já demonstrou o interesse em se instalar no município abrindo cursos na área de engenharia, médica e humana. “Os olhos dos investidores brasileiros agora estão voltados para cá”, enfatizou.

Atualmente uma das preocupações do Governo do Estado é exatamente preparar os jovens maranhenses para que eles possam ocupar as vagas que surgem com os novos investimentos. O estado já dispõe de escolas técnicas com cursos profissionalizantes que só precisam ser agora direcionados para o novo mercado.

O Estado vai propor, ao Governo Federal, a modificação do currículo escolar para que ele seja compatível com a nova ordem econômica do Maranhão. A capacitação de docentes também é uma das preocupações do governo. O secretário de Estado de Educação, Anselmo Raposo, contou que a secretaria já está colocando em prática um curso de capacitação voltado para professores de química.

O empresariado maranhense também está eufórico com essa descoberta, que ao atrair novos investimentos para o estado, resultará em oportunidades de negócios para as empresas locais em termos de fornecimento de bens e serviços.

Na visão do presidente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Edilson Baldez das Neves, a descoberta de gás natural em Capinzal do Norte, além de introduzir o Maranhão no seleto grupo dos maiores produtores desse combustível limpo no mundo, representará mais investimentos.

“Essa descoberta se dá num momento importante, em que muitos empreendimentos estão vindo para o estado. Agora, com o advento do gás, com certeza novos investimentos serão atraídos para o Maranhão”, afirmou Edilson Baldez.

Investimento

A descoberta de gás no Maranhão foi classificada pelo diretor da OGX, Paulo Mendonça, “como o início da abertura de uma nova província de petróleo no Brasil”. A descoberta muda a realidade econômica da cidade com a geração de cerca de cinco mil empregos e deve mudar a condição do Brasil de importador de gás da Bolívia para a de exportador.

Segundo, Eike Batista, dono da EBX, empresa a qual a OGX faz parte, o potencial da reserva de gás encontrada no município é de 15 trilhões de pés cúbicos, o que levaria a uma produção de 15 milhões de metros cúbicos por dia, ao longo de 40 anos. O volume equivale a 25% da produção diária brasileira. 'É metade do que a Bolívia entrega para o Brasil pelo Gasbol', disse ele, referindo-se ao gasoduto que transporta diariamente 30 milhões de metros cúbicos de gás.

Um dos resultados da descoberta é duplicação da capacidade de produção da usina termelétrica a gás que está em fase de implantação na cidade de Santo Antônio dos Lopes, também do mesmo grupo. O empreendimento, com capacidade inicial de produção de 1.863 megawatts de energia, deverá ter essa capacidade ampliada para 3.973 megawatts. “Esse vai ser um dos projetos de geração mais importantes do setor elétrico brasileiro”, disse Eduardo Karrer, presidente da MPX.

A termelétrica já recebeu, no início deste mês, segundo informou o secretário de Estado de Indústria e Comércio, Mauricio Macedo, a licença prévia da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) para instalar o complexo de geração termelétrica em Santo Antônio dos Lopes.

Conforme informações do grupo EBX, o terreno onde serão instaladas as usinas já foi adquirido, as quais ficarão localizadas a aproximadamente 60 quilômetros do poço de gás natural. “Isso vai nos trazer uma vantagem competitiva muito grande”, declarou Eike Batista em teleconferência.

Inicialmente, o empreendimento estava previsto para demandar aproximadamente U$ 1,4 bilhão. Agora, com a descoberta do mega-campo de gás, a tendência é que deve ser investido mais U$ 1 bilhão no projeto de ampliação da termelétrica. A perspectiva é que a termelétrica em Santo Antônio dos Lopes esteja operando dentro de 24 meses. O Complexo de Geração Térmica do Parnaíba é uma parceria entre a MPX (70% de participação) e a Petra Energia S.A. (30% de participação).

Além disso, o grupo EBX também já pensa em ampliar seus investimentos na área de energia. Nos próximos anos, o programa de investimentos da EBX previa aplicações de U$ 6,7 bilhões em ativos para a exploração de petróleo em águas rasas, profundas e em bacias sedimentares em áreas de nova fronteira. (Elizete Silva-Secom)


*Fonte: http://www.oprogresso-ma.com.br/
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos