Desarticulada distribuidora clandestina de medicamentos no centro de Santa Inês


Desarticulada distribuidora clandestina de medicamentos no centro de Santa Inês


Durante uma operação realizada na tarde de quarta-feira, a Superintendência de Vigilância Sanitária em parceria com a polícia, conseguiram desarticular uma distribuidora clandestina de medicamentos que funcionava em uma residência localizada próximo a Praça da Saudade, no centro da cidade.
Foram encontrados caixas de remédios e cosméticos que segundo os agentes, eram comercializados ilegalmente. Uma empresa clandestina que não tem licença para funcionar com medicamentos que são proibidos no país por não ter registro da ANVISA e sem origem de onde foi feito. Foram apreendidos 32 caixas de raízes Gota do Zeca, 12 fracos de Farmel, Vidros de extrato das 14 ervas, vidros de Saúde da Mulher, Cálcio de Ostra, Ervas Composto, Gel Massageador, Columax, além de Hidratantes e Sabonetes líquidos.
Desde o inicio da semana, a vigilância sanitária está realizando trabalhos de fiscalização em farmácias e comércios de Santa Inês, onde foram encontrados medicamentos proibidos no Brasil, como exemplo, um tipo de Vick que segundo o Superintendente da Vigilância Sanitária, não havia visto ainda. “Nunca tínhamos visto esse tipo de Vick. e foi encontrado aqui em grande quantidade comercializado por uma empresa completamente clandestina e que é um risco gravíssimo com a população e quem trabalha com isso está cometendo um crime gravíssimo no código penal, a reclusão vai de 10 a 15 anos, por crime hediondo contra a saúde pública”, disse Paulo Jessé, que assim que souberam do local, acionaram a polícia para as possíveis providências. Duas pessoas que não tiveram seus nomes divulgados, foram detidos param serem ouvidos e liberados após pagar fiança.




Foram encontrados caixas de remédios e cosméticos que segundo
os agentes, eram comercializados ilegalmente

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos