Argentina celebra primeiro casamento entre mulheres no país

Argentina celebra primeiro casamento entre mulheres no país: "Argentina celebra primeiro casamento entre mulheres no país: '


Claudia Baéz e Cristina Medina foram hoje as primeiras mulheres a se casarem oficialmente na Argentina depois da sanção da lei que permite a união homossexual no país, no último dia 21.


Juntas há seis anos, Claudia e Cristina se casaram hoje de manhã em um cartório da cidade de Río Gallegos, no sul da Argentina.


Sem vestidos de noiva, mas com a tradicional troca de alianças, as duas deram um emocionado “sim” em uma singela cerimônia que oficializou a que já tinham realizado de forma simbólica no ano passado.


Pouco depois, na cidade de Rosário, Martín Peretti e Oscar Marvich se casaram. Assim como outros 100 casais do mesmo sexo na Argentina, Martín e Oscar tinham recorrido à Justiça antes da sanção da nova lei para tentar casar no registro civil, mas não receberam permissão para tanto.


Martín, de 36 anos, e Oscar, de 32, que estão juntos há sete anos, celebraram a oficialização de sua união com uma grande festa para mais de 200 convidados.


Antes da reforma legal, nove casais do mesmo sexo conseguiram casar na Argentina por meio de recursos judiciais, mas alguns dos enlaces foram posteriormente anulados.


LEI


A Argenitna tornou-se o primeiro país da América Latina a autorizar o casamento entre gays no no último dia 14, em meio a confrontos entre grupos de apoio e contra num debate que durou 15 horas no Parlamento.


A lei autoriza, em nível nacional, o casamento entre pessoas do mesmo sexo e lhes dá os mesmos direitos que os dados aos casais heterossexuais, como adoção e benefícios sociais. A medida foi sancionada pela presidente Cristina Kirchner no dia 21.


O projeto sofria grande oposição da Igreja Católica, que reuniu milhares de pessoas em uma marcha pelo casamento entre homem e mulher durante a votação.


Na Argentina, a Lei de União Civil da cidade de Buenos Aires, aprovada no final de 2002, foi o primeiro antecedente no país. Apenas quatro cidades argentinas admitiam a união civil entre pessoas do mesmo sexo.


Desde dezembro, pelo menos oito casais homossexuais se casaram no país mediante recursos judiciais, mas alguns enlaces foram posteriormente cancelados.


A aprovação da medida atraiu casais gays estrangeiros, que passaram a fazer consultas sobre a possibilidade de se casar na Argentina.


(Folha Online)



'
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos