Se você for LGBT, diga que é!

Se você for LGBT, diga que é!: "
Campanha incentiva a manifestação da preferência sexual no Censo 2010
Pela primeira vez, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai contabilizar casais homossexuais no Censo Demográfico 2010. A proposta do instituto é disponibilizar informações mais completas sobre a sociedade brasileira. “No passado nós só perguntávamos se eram cônjuges. Hoje nós abrimos para cônjuge do mesmo sexo e cônjuge de sexo diferente”, explica o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes.

Só serão contabilizados os casais homossexuais que declararem, no questionário de perguntas, que moram no mesmo domicílio em união estável. O IBGE já utilizou questionários perguntando sobre a união estável homossexual em alguns municípios, mas esta será a primeira vez que a pesquisa envolve todas as cidades brasileiras.

Com a finalidade de incentivar as pessoas a manifestar sua preferência sexual sem medo do preconceito, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGBLT) lançou a campanha “Se você for LGBT, diga que é”.

“Quando os (as) recenseadores (as) baterem em sua porta e você for “casado (a)” com uma pessoa do mesmo sexo, diga que é. É importante que nós, ativistas e governo, tenhamos dados concretos para construirmos políticas públicas”, disse Toni Reis, presidente da ABGLT.

A contagem da população pelo IBGE em 2007, realizada em cidades pequenas, identificou, pela primeira vez, 17.560 pessoas que declararam ter companheiros do mesmo sexo. Desse total, 9.586 homens se declararam cônjuges de companheiros do mesmo sexo, o mesmo ocorrendo em relação a 7.974 mulheres. O Instituto vai visitar este ano 58 milhões de domicílios em 5.565 municípios.
*Com informações do IBGE e da AGLBT
Fonte: Portal Sul21
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini