ALESSANDRO MARTINS: O AMIGO DE DESEMBARGADORES

ALESSANDRO MARTINS: O AMIGO DE DESEMBARGADORES: "


do Blog do Itevaldo


“Quanto a este réu – Alessandro Martins de Oliveira – não resta dúvida que está a zombar da Justiça, pois, os seus depoimentos na própria CPI não deixa dúvidas que, confiante nas suas relações de amizades com desembargadores (grifo do blog) a que faz referência, e na impunidade, SOLTO, obstaculizará a realização da instrução criminal”, esse trecho consta da decisão da juíza Oriana Gomes, que decretou ontem a prisão preventiva do sócio da Euromar, Alessandro Martins.


Para a magistrada da 10ª Vara Criminal, a decretação da prisão do empresário se fez necessária, pois Alessandro Martins vem “afrontando a ordem pública e permanecendo tranqüilo em sua faina criminosa”.


O blog publicou ontem (dia 1º) em primeira mão a decretação da prisão de Alessandro Martins pela Justiça estadual. Em seguida, sites e blogs dos mais variados vieram com informações mal apuradas, que geraram absurdos, tais como: “Mandado de prisão expedido pelos promotores [...]pelo juiz[...] pela delegacia fazendária[....]”.


Jornalistas e advogados chegaram a afirmar que não teria sido a magistrada Oriana Gomes que decretara a prisão preventiva do sócio da Euromar. Aqui há jornalismo, não esperem outra coisa.


O pedido de prisão do sócio da Euromar é fruto da ação penal 21505-45.2010.8.10.0001, de autoria da 17ª Promotoria de Defesa da Ordem Tributária. Na ação o MP rememora que em 2006 já havia proposto ações penais contra Alessandro Martins, por crimes de estelionato e de relações de consumo.


As ações do MP de 2006 acabaram sendo trancadas por habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça. Alessandro lança mão de suas relações de amizades com desembargadores.


Para o MP, o negócio de Alessandro Martins “é uma verdadeira associação criminosa que age sem qualquer reprimenda penal desde 2006, perturbando a economia maranhense e lesando particulares”.


Num outro trecho de sua decisão, a juíza Oriana Gomes anota um outro argumento do MP. “[...] A impunidade do denunciado Alessandro Martins vem causando junto à sociedade um descrédito em relação ao Poder Judiciário [...] principalmente por o mesmo ocupar um elevado status social e exteriorizar sinais de riqueza ilícita (grifo meu) criando um falso juízo de que a lei foi feita somente para alguns menos afortunados”.


De certo, os menos afortunados referidos pelo MP e pela juíza da 10ª Vara Criminal – a maioria deste estado – não possuem relações de amizades com desembargadores.


A ação do MP e a decisão da juíza Oriana Gomes pôs o foco numa situação, dita nos escaninhos do Judiciário, do Legislativo, nas salas dos donos e dirigentes de jornais, TVs e rádios; e de setores empresariais que Alessandro Martins era de muitas relaçõe$ de amizade$ com desembargadores.


Gaúcho de Santo Antônio da Patrulha (RS), Alessandro Martins poderia invocar o santo, também conhecido como padroeiro dos pobres, para salvá-lo. Ou será mais fácil lançar mão das relações de amizades com desembargadores?

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos