Rumos do PT no Maranhão serão definidos hoje

A Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) decidirá hoje os rumos da legenda no Maranhão para as eleições de 2010. Embora a tese de que o partido possa optar pela neutralidade em relação às eleições majoritárias tenha ganhado força nos últimos dias, o grupo que defende a aliança com o PMDB aposta que sairá vencedora. Menos provável é a confirmação da aliança com o PCdoB. Tanto que os defensores desta tese já se contentam com a neutralidade.

Ontem, a corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), que detém 40% do diretório nacional, aprovou a aliança PT/PMDB no Maranhão. Agora, trabalha no convencimento de outras tendências. Para o presidente regional do PT, Raimundo Monteiro, o encaminhamento é de que o partido feche mesmo a aliança com o PMDB. "Não tem jeito. Não viu em Minas Gerais? A aliança com o PMDB é projeto nacional", frisou ele, que está em Brasília para reunião do diretório.

Além de Raimundo Monteiro, defendem a aliança com o PMDB no Maranhão o ex-deputado federal Washington Oliveira; o presidente do diretório municipal de São Luís, Fernando Silva, e os secretários do partido que compõem o governo Roseana Sarney - Edmilson Santos (Desenvolvimento Social), Anselmo Raposo (Educação) e José Antonio Heluy (Trabalho e Economia Solidária). Todos eles mantêm contato diário com os representantes da Executiva Nacional que irão decidir o futuro petista.

Inconformismo - No grupo liderado pelo deputado federal Domingos Dutra, a postura mudou nos últimos dias. Informados de que são diminutas as chances de que o PT se coligue mesmo com o PCdoB, eles estão defendendo agora a neutralidade. É o que mostrou, ontem, o deputado estadual Valdinar Barros. "É uma posição coerente (a neutralidade)", declarou o parlamentar.

O grupo dutrista chegou a realizar encontro clandestino - desautorizado publicamente pela Executiva Nacional - para definir os supostos companheiros de chapa do deputado federal Flávio Dino. Os indicados (Teresinha Fernandes para vice e Bira do Pindaré para o Senado) terão agora que redefinir outras candidaturas.

Se a tese da neutralidade for oficializada pela Executiva Nacional, o PT não poderá coligar com nenhuma outra legenda no Maranhão nas eleições majoritárias. Para a disputa proporcional, só poderá coligar com outros partidos que também não estejam em nenhuma outra coligação majoritária.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini