Imperatriz: sete crimes de pistolagem em 100 dias

do Correio de ImperatrizImperatriz: sete crimes de pistolagem em 100 dias: "

O Correio de Imperatriz fez um levantamento em seus arquivos para constatar e divulgar os sete crimes de pistolagem ocorridos em Imperatriz nos últimos 100 dias. É estarrecedor: a média é de um crime a cada quinze dias. Aqui você vai ler cada matéria na íntegra, de acordo com a data de sua publicação nas edições impressas.


Veja aqui a lista das vítimas dos crimes, por ordem decrescente.


Assassinato no dia 17 de março de 2010

VítimaEurico Nicolau Lago, 48 anos, comerciante.

Local – Parque Sanharol.


Homem morto na Vila Nova pode ter sido executado

Na última terça-feira por volta das nove e meia da noite no Parque Sanharol, região da grande Vila Nova, o proprietário do Bar do Eurico, foi alvejado com 10 tiros a queima roupa.

Eurico Nicolau Lago, de 48 anos, estava sentado numa cadeira dentro do bar, quando dois homens chegaram e anunciaram o assalto, sem a vítima demonstrar nenhuma reação, eles foram logo atirando.

Uma pessoa que estava no local – um pouco distante sentado na mesa de sinuca -, disse que os assassinos chegaram num gol preto.

A vítima foi socorrida por uma ambulância no Samu e ainda com vida deu entrada no Socorrão, mas não resistindo morreu minutos depois.

Segundo o Sargento da Polícia Militar L. Sena, que chegou pouco minutos ao local, tudo leva a crer que os assassinos já vieram determinados a praticar o crime, pois nada foi levado da vitima, como também não houve qualquer reação quando anunciado o assalto.

Eurico era natural de Barra do Corda, tinha nove filhos, sendo dois homens e sete mulheres, morava em Imperatriz deste 1980.

Ontem, por volta das 15h20, o corpo ainda se encontrava no Instituto Medico Legal, aguardando liberação para ser levado à sua residência, onde seria velado por poucas horas.

O sepultamento acontece hoje em sua cidade natal. Durante todo o dia um grande número de pessoas foi até a residência da vítima.

Segundo alguns amigos, ele não tinha nenhum problema conhecido com ninguém e tinha o bar há seis anos.

A investigação do crime ficará a cargo do delegado Luiz Augusto do Terceiro Distrito Policial, localizado no bairro Vila Nova.

Matéria publicada no dia 18 de março de 2010


Assassinato no dia 22 de março de 2010.

VítimaAvelino Dias Falcão Neto, 45 anos, comerciante.

Local – Setor Rodoviário.


Comerciante é executado à luz do dia

Empresário é assassinado com quatro tiros no setor Rodoviário.

Mais um crime com características de pistolagem aconteceu domingo por voltas das nove horas da manhã em Imperatriz.

O comerciante de automóveis Avelino Dias Falcão Neto (45 anos), foi executado em frente a uma pousada na Rua Alagoas próximo ao terminal rodoviário.

Avelino trabalhava com revenda de veículos na cidade de Tailândia (PA) e havia se mudado recentemente para o estado do Tocantins. Ele estava hospedado desde as 18h de quinta feira (18), no apartamento 22 da pousada. Em sua companhia, estavam a esposa e um filho adolescente.

No momento do crime, Avelino encontrava-se próximo a um orelhão que fica em frente ao estacionamento da pousada.

Funcionários disseram que ouviram quatros tiros e que quando saíram já se depararam com o corpo do hóspede sobre uma possa de sangue, já sem vida.

Dos quatro tiros disparados pelos assassinos, dois atingiram a cabeça da vítima e outros dois o tórax.

O corpo foi removido para o IML e liberado na tarde de domingo aos familiares.

O comandante do Terceiro Batalhão de Policia Militar Zanone Porto disse que minutos depois, policiais numa viatura que estava nas proximidades chegaram ao local do crime.

O filho da vítima disse aos militares que seu pai estaria recendendo ameaças de morte há mais de um ano.

O delegado Jefrey de Paula, responsável pelas investigações, disse que já teria ouvido a esposa da vitima e que com isso em breve devem surgir fatos novos.

Avelino era natural do povoado de Cumaru, em Senador La Roque, onde ainda moram seus familiares.

Segundo relato de algumas pessoas que chegaram ao local, a esposa de Avelino teria dito que ele estava tendo desentendimento com parentes próximos devido à partilha de uma herança.

Matéria publicada no dia 23 de março de 2010


Assassinato no dia 05 de abril de 2010

VítimaFrancisco Sousa Melo, 39 anos, comerciante.

Local – Bairro Juçara.


Mais um crime de pistolagem

Empresário de Grajaú é assassinado com dois tiros no centro de Imperatriz

Mais um crime de encomenda é registrado em Imperatriz.

A vitima é Francisco Sousa Melo, 39 anos, morador da cidade de Grajaú. Ele freqüentemente vinha à cidade para fazer compras.

O crime ocorreu ontem à tarde por volta, das 15h, dentro do Magazine Teixeira, localizado na Rua Rio Grande do Norte, bairro Juçara.

Francisco Sousa tinha acabado de fazer uma compra no estabelecimento comercial, onde era cliente há vários anos.

No momento do crime, o comerciante estava em pé, próximo às mercadorias.

Ele foi alvejado com dois tiros na cabeça. O homem que efetuou os disparos saiu caminhando, e fugiu na garupa de moto Titan, na qual era aguardado pelo comparsa.

Segundo um funcionário do Magazine Teixeira, minutos antes do assassinato uma viatura da Polícia Militar tinha passado pelo local. Menos de cinco minutos depois, a mesma viatura retornou para atender a ocorrência.

Segundo informações de outras pessoas que estavam no local fazendo compras, o pistoleiro não pronunciou nenhuma palavra. “Ele só encostou a arma na cabeça do rapaz e atirou duas vezes”, declarou uma das testemunhas.

O proprietário do estabelecimento, Neto Teixeira, disse que no momento do crime não estava presente e que Francisco Sousa era seu cliente há vários anos.

Neto Teixeira declarou ainda que Francisco Sousa, quando estava em Imperatriz, ficava hospedado na casa de um amigo, rua Sousa Lima.

O corpo da vitima foi levado para o Instituto Médico Legal. Até o final da tarde, nenhum parente ou conhecido havia comparecido ao IML para fazer a identificação ou reclamar o corpo.

Polícia não tem pistas de matador de comerciante

O delegado Jefrey de Paula Furtado, titular da Delegacia do 1º Distrito, comanda as investigações que apuram o assassinato do comerciante Francisco da Silva Melo, de 39 anos.

O crime foi na tarde da última segunda-feira (5), no interior de um comércio localizado na rua Rio Grande do Norte, próximo à rua Barão do Rio Branco, no bairro Juçara.

O delegado já ouviu três testemunhas, entre elas, Nivaldo Leda, que foi testemunha ocular do crime. Outras pessoas serão ouvidas nos próximos dias. Há possibilidade de o delegado ir ao município de Grajaú, onde o comerciante morava.

Após os primeiros depoimentos, o delegado mantém a hipótese de “crime de encomenda”, que teria sido motivado por acerto de contas.

Matéria publicada no dia 06 de abril de 2010



Assassinato no dia 07 de maio de 2010

VítimaJosé Pereira da Silva, 29 anos, comerciário.

Local – Centro.


Comerciário é assassinado na Getúlio Vargas

O comerciário José Pereira da Silva, 29 anos, foi assassinado por volta de 20h de ontem em frente à loja aonde trabalhava, o Atacadão do Barão, na Getúlio Vargas entre Souza Lima e Amazonas.

José fechou a loja, atravessou a rua e estava destrancando o cadeado da bicicleta quando dois homens chegaram em uma moto. Ao virar-se para ver quem era, foi alvejado no rosto por dois tiros a queima-roupa.

Segundo testemunhas, um dos assassinos estava de camisa vermelha e o outro de camisa amarela.

Há contradições sobre a cor da moto, uma Titan: algumas pessoas disseram que era uma moto preta, outras, vermelha. Mais detalhes na próxima edição.

Matéria publicada nos dias 08 e 09 de maio de 2010


Assassinato no dia 21 de maio de 2010

VítimaUrione Rosa, 44 anos, comerciante.

Local – Camaçari.


Corpo carbonizado é de microempresário

O corpo parcialmente carbonizado localizado por volta de 2h da madrugada de ontem, às margens da rodovia Pedro Neiva de Santana, no Camaçari, é do microempresário Urione Rosa, 44 anos, conhecido por Ari.

O reconhecimento foi feito pela esposa dele, Marilene Bandeira Marinho, pelas feições do rosto e por um anel que a vítima usava no polegar direito.

O corpo foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) no final da tarde de ontem. A autópsia revelou que Ari foi golpeado na cabeça antes de ter o corpo queimado – segundo o laudo, foi detectado traumatismo craniano, e não havia sinais de tiro ou perfuração de objeto perfuro-cortante.

A família revelou que o corpo do microempresário será enterrado hoje à tarde no Cemitério Parque dos Anjos, na Vila Cafeteira.

Caso

Por volta de 2h da madrugada de ontem, a Polícia recebeu a informação através do serviço 190 de que havia um corpo em chamas próximo a dois bueiros às margens da rodovia Pedro Neiva de Santana, no Camaçari. O Corpo de Bombeiros foi acionado imediatamente e uma equipe (comandada pelo sargento Jair Ferreira e composta pelos cabos Felix e Adeilson e o soldado Cardoso) foi deslocada para o local.

O cabo Felix disse que chegando ao local, encontram o corpo ainda em chamas trataram logo de apagar o fogo. Eles constataram que o corpo, que ficou parcialmente carbonizado, era de um homem.

Segundo o cabo Félix, por ter sido usado gasolina para atear fogo ao corpo.

No início da manhã de ontem, a Polícia encontrou um Clio prata, placas NHN-9184, de Imperatriz, estacionado próximo ao Posto Cidade Esperança, localizado na rua Newton Belo, bairro Santa Rita.

Uma consulta ao arquivo de dados da Polícia apontou que o automóvel pertencia a Urione Rosa, mais conhecido por Ari.

A esposa dele, Marilene Bandeira Marinho, acompanhada de policiais, foi ao posto de combustível e reconheceu o carro. Aflita, revelou que o marido não tinha dormido em casa. No local, ela foi informada de que no início da madrugada o corpo carbonizado de um homem estava no Instituto Médico Legal.

Chegando ao IML, os policiais mostraram várias fotos a Marilene, que também reconheceu o corpo como sendo do marido por alguns traços do rosto e por um anel que ele usava no polegar direito.

O posto de combustível onde foi deixado o veiculo teria sido de propriedade de Ari e de um sócio, conhecido apenas por Germano.

Segundo as primeiras investigações, Ari era microempresário do setor da construção civil, no ramo de locação de veículos e máquinas pesadas para construtoras e empreiteiras.

Segundo a esposa, ele teria passado em casa por volta das 21h de quinta-feira com seu motorista Raimundo Nonato, conhecido como Irmão. Ao sair, disse a Marilene que levaria o motorista em casa. Foi a última vez que ela viu o marido com vida.

A Perícia encontrou no Clio, que estava aberto, os documentos do veículo, dois celulares da vitima e a cópia da carteira de identidade de Ari. Segundo o motorista

Irmão, o microempresário foi visto por volta de 23h no Posto Cidade Esperança.

Matéria publicada nos dias 22 e 23 de maio de 2010


Assassinato no dia 11 de junho de 2010

VítimaMaria das Graças Costa Alves, 40 anos, comerciante.

Local – Santa Rita.


Empresária é morta dentro de casa

A empresária Maria das Graças Costa Alves, 40 anos, foi encontrada morta pelo filho de 14 anos ontem por volta de 12h30. Ela estava apenas de camiseta. O corpo, molhado, estava em cima da cama de um quarto de empregada, na área onde fica a piscina a casa, localizada na Rua Pernambuco, no Santa Rita, próximo à rua Padre Cícero.

Gracinha, como é chamada pelos amigos, era casada com Ronaldo Pinheiro de Sousa, que mora há 23 anos em Imperatriz. Ele disse que estava em Araguatins, quando foi informado pelo filho sobre o crime, por volta de 12h40.

O filho esperou a mãe buscá-lo no colégio, como sempre fazia. Como ela não apareceu, ele resolveu volta sozinho para casa. Ao chegar, encontrou a porta da frente aberta, e logo que entrou viu manchas de sangue próximo à piscina. Ele seguiu as manchas de sangue até o quarto, onde encontrou o corpo da mãe.

Um garoto de sete anos, sobrinho de Gracinha, foi trancado em um dos quartos da residência. O filho entrou em desespero e chamou os vizinhos, depois avisou o pai pelo celular.

Segundo o esposo, há marcas de pancadas na cabeça da esposa.

Outra informação passada por ele: foram levados um celular e a roupa íntima da esposa.

Matéria publicada nos dias 12 e 13 de junho de 2010


Assassinato no dia 24 de junho de 2010

VítimaClóvis Aguiar, 48 anos, comerciante e radialista.

Local – Bairro Maranhão Novo.


Radialista Clóvis Aguiar é assassinado com três tiros

O radialista Clóvis Aguiar, 48, foi assassinado na porta da residência de sua mãe após trazer-lhe um peixe para ser preparado por ela.

Ela estava na cozinha preparando o jantar e quando ouviu os disparos saiu correndo para ver o que tinha acontecido e viu o corpo de seu filho sentado na cadeira envolto de muito sangue.

Clóvis estava sentado em frente de casa e foi alvejado com três tiros de pistola calibre 380. Eram dois suspeitos e o comparsa ficou próximo do local esperando numa moto para facilitar a fuga.

A primeira linha de investigação é de que seja crime de pistolagem.

Clóvis ainda foi socorrido, sendo levado ao Hospital Municipal de Imperatriz, mas não sobreviveu aos ferimentos. O atentado se deu por volta das 19 horas, na Rua Marechal Costa e Silva em cruzamento com a Rua Mato Grosso, no bairro Maranhão Novo.

O Correio de Imperatriz apurou que o radialista já tinha sido vítima de um atentado há seis anos.

Clóvis Aguiar atuava como comentarista esportivo e trabalhava numa emissora de TV em Imperatriz.

Matéria publicada no dia 24 de junho de 2010


A pergunta é: quantos destes foram elucidados? Com a palavra a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão.
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini