Advogado de Correia Lima é preso por estelionato pela CICO

Advogado de Correia Lima é preso por estelionato pela CICO: "


Wendel Oliveira foi preso em Luís Correia, onde estava visitando seus clientes presos na penitenciária de Parnaíba.


O advogado Wendel Oliveira, que defende o ex-coronel José Viriato Correia Lima, foi preso na manhã desta sexta-feira(18) na pousada da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), em Luís Correia, por policiais da Comissão Investigadora do Crime Organizado (Cico) ao cumprirem mandado de prisão.


Wendel é acusado de falsidade ideológica, estelionato e uso de documentos falsos, por utilizar o nome de um escritório de advocacia renomado de Brasília em seus casos.


“Ele está sendo acusado de estelionato porque os clientes o contrataram achando que ele fazia parte de um escritório renome nacional e o advogado Pedro Calmon, proprietário do escritório, disse que não o autorizou”, destacou o delegado Danilo Melo, que preside o inquérito na Cico.


O mandado foi expedido pelo juiz Antônio Soares, da 8ª Vara Criminal. A prisão foi feita pelo delegado Willame Costa e sua equipe em Luís Correia, na manhã de hoje.


Segundo Willame Costa, o advogado preso já está sendo transferido para Teresina, onde será interrogado.


Além de Correia Lima, Wendel Oliveira também visitava outro cliente, o acusado de tráfico de drogas, João Araújo Miranda, “o Cobra”, em Parnaíba que foi preso pela Polícia Federal.


Para o site Proparnaiba, que acompanhou sua prisão, Wendel Oliveira afirma em sua defesa, que tudo isso não passa de uma briga entre ele e Pedro Calmon, advogado que assumia a causa de Correia Lima, anterior a ele, mas que está documentado e vai entrar com uma representação contra Calmon assim que for liberado pela polícia.


Caroline Oliveira

carolineoliveira@cidadeverde.com

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos