Obras da refinariaPremium I do Maranhão vão ser iniciadas em julho

Obras da refinaria vão ser iniciadas em julho: "


Ribamar Cunha
Subeditor de Economia


Francisco Góes
Do Valor Econômico


São Luís E Rio - A Refinaria Premium I do Maranhão, projeto de maior valor da Petrobras, com orçamento inicial previsto de cerca de US$ 20 bilhões, deve ganhar novo impulso em julho com o início das obras de terraplenagem. Este mês, a Petrobras recebeu 10 propostas de empresas interessadas em terraplanar a área de cerca de 8 quilômetros quadrados onde será construída a refinaria, em Bacabeira, ao sul de São Luís.


As obras de terraplenagem terão início em, no máximo, 45 dias. A licitação realizada pela Petrobras está em pleno andamento, em fase de análise das 10 propostas apresentadas no dia 3 deste mês por 20 empresas. O resultado deverá ser divulgado em 15 dias.


Pela complexidade dos trabalhos, estimativas de mercado mostram que os investimentos deverão ficar em torno de R$ 600 milhões, podendo chegar a R$ 1 bilhão (o que só será possível saber quando houver o anúncio da empresa vencedora). Além de terraplenagem, serviço que deverá movimentar 50 milhões de m³ de terra na área de instalação da refinaria, a licitação também engloba obras de drenagem.
“A obra da terraplenagem torna a refinaria irreversível”, disse o ex-ministro das Minas e Energia, senador Edison Lobão, ao ressaltar que a refinaria dará um novo destino ao Maranhão, de desenvolvimento econômico e social. Ele informou que está acompanhando todos os passos de instalação. “Eu sou um fiscal dessa grande obra, que mudará os destinos do Maranhão”, afirmou.


Linhas de transmissão - A terraplenagem também depende da remoção de duas linhas de transmissão da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), que cortam a área da refinaria. O gerente-executivo de programas de investimento da área de abastecimento da Petrobras, Luiz Alberto Domingues, informou que uma empresa foi contratada para remover as duas linhas.


Segundo o membro da diretoria de Abastecimento da Petrobras, João Rebelo, atualmente estão sendo realizados serviços de cercamento e de supressão vegetal na área. Após a etapa da terraplanagem, cujos serviços devem ser concluídos em 18 meses, a Petrobras iniciará a fase construção e montagem da refinaria, que também deve durar outros 18 meses, abrangendo serviços de bases e fundações, estruturas de concreto e metálicas, instalação de equipamentos, montagem de tubulação e eletromecânica, etc.


Projeto da refinaria será adaptado para processar óleo leve do pré-sal


São Luís e Rio - A perspectiva de contratar no curto prazo os serviços de terraplanagem coincide com a revisão do projeto da Refinaria Premium I, a maior e mais moderna da América Latina, que será construída numa área de 20 km² no município de Bacabeira, a 66 quilômetros de São Luís. A revisão da Premium I é baseada nas definições do novo plano de negócios da Petrobras para o período 2010-2014.


O plano ainda não foi divulgado. A reavaliação do projeto busca adequá-lo para processar petróleo leve a ser produzido no pré-sal. Inicialmente, tanto a Premium 1 como a 2 – esta planejada para o Ceará – foram pensadas para refinar óleo pesado extraído na Bacia de Campos.


'Ao invés de processar apenas petróleo pesado, o processo está sendo revisto para processar 50% de óleo do pré-sal e 50% de óleo pesado', explicou o gerente executivo de programas de investimento da área de abastecimento da Petrobras, Luiz Alberto Domingues.


A revisão deverá reduzir o investimento no projeto, pois serão necessários menos equipamentos como compressores e bombas, informou Domingues. Ele não quis dizer quão mais barata ficará a refinaria como resultado das mudanças nas fontes de suprimento de matéria-prima. Por outro lado, a valorização do real frente ao dólar preocupa, uma vez que os serviços de construção de refinarias são pagos em reais.


Também não houve definição até o momento sobre a entrada das japonesas Marubeni e Mitsui como sócios dos projetos das duas refinarias. Em janeiro do ano passado, a Petrobras assinou memorando com a Marubeni para fazer estudos conjuntos sobre a Premium 1. Alguns meses depois, em maio, foi assinado outro memorando com a Mitsui com o objetivo de realizar estudos para analisar a viabilidade de implantação da Premium 2, no Ceará.


Capacidade - Em termos de capacidade, o desenho da refinaria do Maranhão continua o mesmo: a unidade será projetada para refinar 600 mil barris de petróleo por dia. Esse volume é quase o dobro da refinaria de Paulínia (Replan, em São Paulo), hoje a maior unidade de refino da Petrobras em operação, com capacidade de processar 390 mil barris por dia.


A implantação da refinaria do Maranhão se dará em duas fases, cada uma de 300 mil barris ao dia. O planejamento original prevê o primeiro módulo para 2013 e o segundo para 2015. Mas é possível que haja um ajuste no cronograma da unidade maranhense. Perguntado se o atraso na instalação do primeiro módulo dessa obra poderia chegar a um ano, Domingues respondeu: 'No máximo.'


Fluxo e capitalização - Os prazos da implantação da refinaria dependem de outros fatores, entre os quais estão o fluxo de caixa da companhia e a capitalização da empresa, atualmente em discussão no Congresso. Existe a preocupação de não aumentar a dívida da empresa de forma a comprometer o grau de investimento dado pelas agências de classificação de risco. Estes fatores estão sendo considerados e, quando forem definidos, permitirão ter maior clareza sobre o prazo para a entrada em operação do primeiro módulo da refinaria, de 300 mil barris ao dia.


Planejada para produzir diesel, GLP, QAV (combustível de aviação) e coque, a refinaria do Maranhão está sendo pensada para atender aos mercados interno e externo. A idéia é de que a unidade permita abastecer a região Centro-Oeste, hoje suprida por São Paulo, informou Domingues.


Em relação à terraplanagem, o executivo afirmou que o objetivo é começar as obras em junho para aproveitar a época de seca do segundo semestre. De janeiro a junho, chove muito no Maranhão, o que é um entrave para a preparação de solos.


Transferência - O andamento da terraplanagem vai depender de outros fatores, além do clima. Um deles é a transferência de 40 famílias que vivem numa comunidade dentro de uma das áreas a ser ocupada pela refinaria.
O secretário de Estado de Indústria e Comércio, Maurício Macedo, disse que as famílias serão realocadas para novas casas em Bacabeira e Rosário. Segundo Domingues, a estatal já tem contratos de comodato que somam 93% da área da refinaria, formada em grande parte por antigas fazendas. Nessa área, a Petrobras já está instalando cercas e fazendo a supressão vegetal com manejo de fauna.


Refinaria é vital para o programa de exportação


A refinaria de Bacabeira é considerada vital para a expansão do programa de exportação do petróleo brasileiro. Hoje, a capacidade de refino do petróleo no Brasil é de 2 milhões de barris de petróleo por dia (bpd) e até 2020 a Petrobras quer ampliar essa capacidade para 3,2 milhões bpd. Isso significa que somente Bacabeira, com os 600 mil bpd que serão processados, será responsável por 50% desse aumento.


Em instalação no município de Bacabeira, a refinaria do Maranhão, orçada em R$ 40 bilhões, é uma das quatro novas que a Petrobras está construindo na região Nordeste, cuja capacidade de processamento equivale a um terço de todo o petróleo produzido hoje no país.


O processamento de petróleo na refinaria maranhense vai resultar na produção de derivados de alta qualidade, como óleo diesel, querosene de aviação (QAV), nafta petroquímica, gás liquefeito de petróleo (GLP), bunker (combustível para navios) e coque.


A maior parte (50%) do refino de petróleo na refinaria será destinada à produção de diesel de elevada qualidade e baixíssimo teor de enxofre (10 partes por milhão) para exportação ao mercado europeu. Tanto o diesel como os demais produtos serão escoados por meio de uma rede de dutos, numa extensão de 60 km, de Bacabeira até o Porto do Itaqui, em São Luís.


Números


112 navios atracarão mensalmente no Itaqui para trazer petróleo e levar diesel refinado
25 mil trabalhadores é o total de pessoal estimado no pico da obras de construção da Refinaria.
O início da operação da Refinaria Premium coincide justamente com a projeção do ano base para a exploração maciça da camada pré-sal pelo governo, a partir do ano de 2013.


Saiba mais


- As fases de construção e montagem da refinaria, além de proporcionar oportunidades de emprego e renda para a população, possibilitará negócios para as empresas locais em relação ao fornecimento de bens e serviços, como transporte, alimentação, segurança, manutenção e conservação, equipamentos de soldagem, de corte, de movimentação de carga, de usinagem, entre outros.


- Com relação a emprego, a estimativa é de que sejam gerados 132 mil postos de trabalho diretos e indiretos e que no pico da obra, em 2012, o canteiro reúna um contingente de 26 mil trabalhadores. Quando estiver operando, a refinaria deve empregar aproximadamente 1,5 mil pessoas.


- De acordo com o cronograma de obras estabelecido pela Petrobras, a Refinaria Premium I terá a primeira fase concluída em setembro de 2013, com capacidade inicial de processar 300 mil barris/dia de petróleo. Numa segunda fase, prevista para setembro de 2015, a planta elevará sua capacidade de produção para 600 mil barris/dia.

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos