Vasco vê de perto os traumas do passado, mas Carlos Alberto garante alívio: 2 a 1

Vasco vê de perto os traumas do passado, mas Carlos Alberto garante alívio: 2 a 1: "

Meia decide a vitória sobre o Corinthians-PR aos 42 do segundo tempo. Triunfo classifica o time para enfrentar Vitória ou Goiás nas quartas

No aniversário de 83 anos de São Januário, o jogo e a festa estiveram longe da história do estádio e do clube. Mas pelo menos não houve presente de grego. Com um primeiro tempo tranquilo e um segundo mais do que tenso, o Vasco venceu o Corinthians-PR por 2 a 1, classificando-se para as quartas de final da Copa do Brasil. Um resultado que até certo ponto acalma uma torcida que já foi eliminada por Gama, Baraúnas e XV de Campo Bom em edições anteriores.

A bola que decidiu o jogo só surgiu aos 42 minutos do segundo tempo, em grande jogada de Carlos Alberto (veja o vídeo). Àquela altura, o Corinthians pressionava e estava a um gol da vaga, com o estádio apreensivo.

Na próxima fase, o Vasco pega Vitória ou Goiás. A equipe goiana precisa vencer por cinco gols de diferença o duelo desta quarta-feira, às 21h50m, no Serra Dourada. O jogo de ida das quartas de final será na próxima semana, quarta ou quinta-feira, em Salvador ou Goiânia.

No ano passado, o Vasco pegou o Vitória nas quartas de final: 4 a 0 em São Januário e 1 a 1 no Barradão.

Público volta a abraçar o time

No feriado de sol, a torcida surpreendeu a diretoria e até que prestigiou o aniversário de 83 anos de São Januário. Foi o maior público do Vasco em casa nesta temporada: 11.739 presentes, com 10.034 pagantes.

Até Cadu, do BBB10, esteve pela primeira vez no estádio depois do programa. E o Vasco colocou o Coritnhians no paredão logo no início. Fágner fez duas boas jogadas e foi derrubado em ambas. Na segunda, Léo Gago cobrou a falta de longe e o goleiro Colombo jogou para fora. Isso mesmo: Colombo tentava impedir a festa de aniversário da casa portuguesa. Mas no escanteio não houve jeito: 1 a 0, aos 12 minutos. Gol de cabeça de Élton, que inovou usando um bigodinho.

Ivo Gonzales/AGÊNCIA O GLOBO

Carlos Alberto vibra com Élton: time não foi sombra dos melhores momentos da história de São Januário

O gol deu tranquilidade ao time, mas o conforto virou acomodação. O time diminuiu bastante o ritmo e só esteve realmente perto de marcar o segundo aos 31, quando Coutinho rolou bem para Élton. Colombo saiu bem e abafou a jogada.
Aproveitando o recuo do Vasco, o Corinthians se soltou. Mas Fernando Prass não chegou a ter trabalho. Aos 46, Rodrigo Crasso teve a primeira e única clara chance de empatar na etapa inicial. Com a bola quicando na área, chutou torto, longe do gol, tornando inevitável o trocadilho: erro crasso.

"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pepe Moreno: e o cego com três filhos aleijados

Faça uma doação para o Brechó Solidário do Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini

Expressões da violência no Maranhão serão debatidas em São Luis no Dia Internacional dos Direitos Humanos